Veja como calcular as taxas do Consórcio

Muitos clientes se perguntam, o Consórcio é mesmo sem juros?

No post abaixo a ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio) ajuda você a tirar as dúvidas da composição de suas parcelas:

Você já deve ter ouvido falar que consórcio não tem juros. E não tem mesmo! Consórcio é autofinanciamento, ou seja, a compra de bens ou serviços pelos consorciados contemplados é feita com recursos dos próprios integrantes do grupo, que contribuem mensalmente com uma parcela. Mas, então, quais as taxas do consórcio? É isso que vamos conhecer neste post.

A prestação no consórcio é constituída pelo fundo comum, pela taxa de administração e, se estabelecido em contrato, por fundo de reserva e seguros. Todas as taxas do consórcio são aplicadas sobre o valor do bem ou serviço contratado.

Fundo Comum (FC): é o valor pago pelo consorciado para formar a grande poupança que será destinada à compra do bem ou serviço pelos contemplados. A referência é o preço vigente no dia da Assembleia Geral Ordinária (entenda Como funcionam as assembleias no consórcio) do bem ou serviço indicado no contrato.

Normalmente, a contribuição para o FC é definida da seguinte forma: percentual do preço do bem ou serviço (que pode ser 100% ou o % estabelecido em contrato) dividido pelo número de meses do grupo. No exemplo abaixo, é pago mensalmente 1,6667% do valor do bem ou serviço ao FC, o que representa R$ 500.

1

Obs.: Essa forma de contribuição, com percentual fixo durante todo o prazo do grupo, é chamada de linear. No entanto, a administradora pode fixar um percentual variável, desde que a soma destas contribuições seja igual ao total contratado. Essa forma é chamada de não linear.

Taxa de Administração (TA): é a remuneração da administradora pelos serviços prestados na formação e gestão do grupo. Para saber o valor pago de taxa de administração em cada prestação, basta dividir a taxa total pelo prazo do grupo. Na simulação abaixo, a taxa de administração paga por mês é de 0,25%, ou seja, R$ 75.

2

Fundo de Reserva (FR): é um fundo de proteção destinado a garantir o funcionamento do grupo em situações adversas, como inadimplência. A administradora pode cobrar FR apenas se estabelecido em contrato. É importante observar que se houver recursos nesse fundo quando o grupo for encerrado, eles serão devolvidos proporcionalmente aos consorciados.

O raciocínio do cálculo é o mesmo adotado para a taxa de administração: dividir a taxa total pelo prazo do grupo. Na simulação, o valor pago por mês de FR é de R$ 9,99, o que corresponde a uma taxa de 0,0333%.

3

Seguro: Se previsto no contrato, o consorciado estará sujeito ao pagamento de prêmios de seguro. Como exemplo, podemos citar seguro de quebra de garantia (contratado em favor do grupo para cobrir possível inadimplemento de consorciados contemplados), seguro de vida (destina a pagar as prestações vincendas em caso de falecimento do consorciado) e seguro desemprego (pagamento de prestações caso o cotista venha a perder o emprego).

Se somarmos os itens acima – exceto seguro, pela variedade e por depender de negociação da administradora com a seguradora – teremos o valor total da prestação: R$ 584,99.

4

Os percentuais citados acima são meramente exemplificativos. Verifique os percentuais constantes no contrato que você está assinando, bem como todas as demais cláusulas.

Veja aqui um modelo de contrato da CAIXA Seguradora:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *